A torrefacção do café


A torra do café

Este processo destaca o próprio sabor do grão e determina a suavidade, riqueza, sabor e outras condições do produto acabado. O que não determina é a força do café, já que esta depende da proporção entre café e água quando se prepara.

Torra ligeira

Dá um grão de cor canela e, como resultado, uma bebida que aqueles que gostam dela lhe chamam delicada e as outras fraca. É a torra que se usa para obter grão de sabor suave.

Torra média

Dá-lhes um carácter mais forte e mais sabor.

Torra completa

É a que produz grãos de cor castanho-escura e um sabor ainda mais intenso.

Torra dupla

Enegrece praticamente os grãos e usa-se para o café forte, que se serve depois das refeições.

Torra francesa

Os grãos ficam brilhantes, queimados até adquirirem uma cor ambarina, é um café ligeiramente suave.

Torra italiana

Torra italiana ou expresso, é a que chega quase ao ponto de carbonização

Torra espanhola

Também chamada de franco-italiana, é como a italiana, mas sem a mesma força.

Quanto mais intensamente se torra, menor é a acidez dos grãos e menos subtil o seu aroma, de modo que os de mais qualidade não se usam para torras mais completas. No entanto, muitos conhecedores preferem decididamente os cafés mais torrados, porque não gostam do sabor ácido dos grãos ligeiramente torrados.

Só nos países que levam muito a sério a questão de beber café se dispõe de aparelhos próprios para torrá-lo a grande escala a nível doméstico. Para isso usavam-se antigamente tambores movidos por uma manivela e aquecidos por baixo com uma lamparina a álcool; actualmente existem torradeiras eléctricas. Quem quiser tentar torrar os grãos “verdes” (que se podem comprar nas lojas especializadas, sem ter o aparelho, pode fazê-lo numa frigideira, sacudindo-a continuamente sobre o lume até que os grãos tenham adquirido por igual a cor desejada (os mais fáceis de torrar são os redondos). No entanto, para fazer um excelente café é mais fácil comprar café torrado (mas não com muito tempo de torrefacção) e em pequenas quantidades. Para que não percam o aroma devem ser guardados num frasco hermeticamente fechado; assim se conservam em boas condições até três semanas.

Se se comprar café já moído e empacotado em vácuo, na embalagem não se encontrará a especificação dos tipos de grão usados na mistura, mas sim a informação quanto ao grau da torrefacção e da moagem. Muitos destes cafés são excelentes e as misturas mantêm de ano para ano um sabor constante, embora os cafés – tal como os vinhos – variem de acordo com as condições climatéricas durante o seu período de crescimento. Uma vez aberto o pacote, o café moído deve guardar–se num recipiente fechado hermeticamente e usá-lo, se possível, dentro de uma semana.

Sobre JNascimento

Kota amante da boa mesa e da boa música
Esta entrada foi publicada em Café. ligação permanente.

Uma resposta a A torrefacção do café

  1. Pingback: Café | O Retiro do Sossego

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.