Picles. Um pouco de história


O saber também se alimenta

Segundo alguns historiadores, os picles foram feitos pela primeira vez na Índia. Há cerca de 4000 anos já se fabricavam. Mas, em vez de vinagre ou sal, era utilizado óleo. Foi ainda na Índia, que, ao longo dos anos se foram diversificando as variedades de produtos utilizados. Os primeiros picles eram feitos sobretudo com pepinos e mais tarde foram-se juntando outros vegetais, frutos e especiarias. Um historiador da antiga Grécia, Heródoto, referia que os Egípcios e os Babilónios faziam picles com peixes. Que a beleza de Cleópatra se devia em grande parte aos picles.

Também o filósofo da Antiga Grécia, Aristóteles mencionava o benefício dos pepinos para a saúde, desde que transformados em picles. Também na Roma antiga, o Imperador Júlio César, reconhecendo o valor revigorante dos picles, decidiu incluí-los na alimentação das suas tropas. Eram particularmente apreciados os picles feitos com azeitonas.

Mais recentemente, no século XIII, em Inglaterra, as classes altas não dispensavam os picles, consumidos sobretudo como sobremesa.

Nas Ilhas do Pacífico Sul, eram feitos de outra forma. Com o clima quente e húmido, os alimentos deterioravam-se com muita facilidade. Assim, as populações conservavam os frutos numa base de fermentação, repousando em poços. E reza a história, que os homens prestes a casar, eram avaliados segundo a quantidade e qualidade do armazenamento de picles.

Na Europa, o fabricante de picles, Nicholas Appert conseguiu conservar pela primeira vez, alimentos em garrafas fechadas, decorria o ano de 1810. Em 1820, Nicholas Appert, torna-se o primeiro homem a comercializar picles em frascos.

Durante a 2º Guerra Mundial, 40% da produção de picles da América do Norte era para a alimentação das tropas.

Os picles podem ser feitos de três formas: Em salmoura, em vinagre e em óleo.

Em salmoura, método já pouco usado, os produtos usados são fermentados. Era o método usado para conservar fruta, peixe e carne.

Em vinagre, conservam-se uma grande variedade de legumes e hortaliças. Para além de ácida, a solução pode ser doce ou aromatizada.

Em óleo, os alimentos são fermentados.

Curiosidade: no México há picles com cactos. No Japão, encontram-se picles com polvo.

Por hoje, tomamos esta pequena dose de alimento, duas horas antes de ir para a cama. Tempo recomendado pelos médicos e nutricionistas, para que o sono possa ser mais repousante e revigorizante.

Sobre JNascimento

Kota amante da boa mesa e da boa música
Esta entrada foi publicada em Introdução e história da gastronomia com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.