Frango


Frango

Antes de se começar a criar maciçamente, quando o frango era excepcional manjar de domingos, as aves de capoeira engordavam-se especialmente para as festas. Em França, os frangos assavam-se, as galinhas, bem recheadas e fervidas com uma multidão de verduras, constituíam a poule au pot, e um galo jovem, grande e pesado, convertia-se num frango ao vinho, com o seu fragrante odor a vinho, cebolas, míscaros e ervas aromáticas. O backhändl austríaco (um galo jovem, assado) acompanhava-se com uma salada de pepinos cortados em rodelas quase transparentes e polvilhadas com pimentão. Na Inglaterra, o frango era sempre recheado e servia-se assado, recheado de salsichas, rolos de toucinho fumado, batatas assadas e couve-de-bruxelas ou ervilhas frescas; ainda hoje, com a pele a estalar e a carne suculenta, consegue ser um êxito.

Também é, certamente, a panaceia das mães judaicas para qualquer doença debilitante, desde a gripe ao sarampo, um bom caldo de galinha é o melhor reconstituinte.

Actualmente, o frango come-se com frequência e preparado de mil maneiras. Diferentemente dos seus antepassados, os frangos de aviário engordam-se tão depressa e matam-nos tão jovens que não têm tempo de atingir todo o seu sabor. Por triste que pareça, os frangos respondem à criação forçada e são um bom veículo para uma quantidade de sabores. Mesmo assim, vale a pena comprar o melhor frango que se possa encontrar. Os que se criam em liberdade são, indubitavelmente os de melhor sabor, graças à dieta variada que seguem enquanto vão debicando alegremente; além do mais, só o facto de poderem correr ao sol dá-lhes uma qualidade muito mais evidente. Mas até entre os standarizados frangos de supermercado há-os mais ou menos saborosos.

Temos o frango fresco de supermercado, que pode ou não vir embrulhado em plástico, e que já está limpo e foi refrigerado acima do ponto de congelação. Traz dentro, esmeradamente envolvidos os miúdos (que são necessariamente os seus). Pode cozinhar-se de imediato, coisas que jamais se pode fazer quando se compra congelado; além do mais, um frango fresco tem bom sabor e carne abundante.

As aves que se vêem penduradas nos talhos, não devem ter sido, a menos que se especifique o contrário, criadas em liberdade. A maioria são frangos de aviário que conservam as entranhas, cabeça e patas, as aves não esvaziadas não se devem guardar mais de sete dias, tempo que inclui o que passaram na loja onde foi comprado.

Os mais baratos que se encontram nos supermercados estão geralmente envoltos em plástico e foram congelados rapidamente a uma temperatura de menos de 18º C. Segundo o ponto de vista do vendedor são mais proveitosos que as aves frescas, porque não requerem o trabalho de limpá-los. Além disso, desde que se conservem à temperatura adequada, não se deterioram, e o invólucro não só os ajuda a conservar o seu belo aspecto, com retarda substancialmente a perda de peso devido à evaporação.

Para os interessados em nutrição e economia, interessará saber que estas aves, embora congeladas são uma fonte barata de proteínas que fornecem energia. Todavia, para o cozinheiro, o frango congelado pode parecer bastante insípido, pelo que necessita preparações que lhe dêem sabor e realce para que tenha mais gosto.

Quando se compra frango congelado deve evitar-se os que estejam queimados pelo frio, visto que estarão secos e desabridos, e também aqueles em que se observem acumulações notórias de gelo entre o corpo e o invólucro; isto significa que em algum momento foram descongelados e voltaram a congelar, o que não é bom para a qualidade da carne. Todos os frangos, quer frescos quer congelados, foram lavados com água depois de depenados e esvaziados. No caso dos frescos, a água secou antes de chegar à cozinha. Em contrapartida, no caso dos congelados, a água só se escorre em casa, ao descongelar, quando a ave termina num charco de líquido rosado que o cliente pagou como se fosse frango.

A descongelação deve ser completa. Descuidar este pormenor é perigoso, porque o calor ao cozinhar provocará o desenvolvimento de bactérias, que devem matar-se durante a cozedura. E isto é impossível se o frango for cozinhado com o interior ainda congelado (e ainda mais se se rechear), de modo que deve verificar-se não apenas a descongelação da carne exterior, mas também a do interior do frango antes de cozinhá-lo. Qualquer indício de cristais de gelo no interior e até um frio excessivo indicam que a ave não está em condições de ser cozinhada.

A melhor forma de descongelar um frango é fazê-lo lentamente, no frigorífico. Outro método, menos adequado é o de deixar descongelar à temperatura ambiente, e em terceiro lugar está a possibilidade de metê-lo em água fria. Nunca se deve dar um banho de água quente a um frango congelado; a descongelação rápida estraga irremediavelmente a textura da carne e, seja qual for a receita usada, dará como resultado um frango seco e elástico. Cuja carne perdeu toda a suculência.

Tão rápido quanto possível, enquanto está a descongelar, devem retirar-se do interior os miúdos, para que possa entrar ar na cavidade. Não esquecer nunca que se deve tirar a embalagem de miúdos de qualquer ave que tenha de ir ao forno. Embora o conselho possa parecer um tanto elementar, são tantas as vezes que deparamos com um “recheio surpresa”, que nunca é de mais repeti-lo.

fonte da imagem: http://www.google.com/search?q=frango&hl=pt-PT&tbo=d&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=_YyuUI6EJoeyhAeMooHwBw&ved=0CAQQ_AUoAA&biw=1366&bih=624

Sobre JNascimento

Kota amante da boa mesa e da boa música
Esta entrada foi publicada em Aves de capoeira com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.